"Nunca é alto o preço a pagar pelo privilegio de pertencer a si mesmo." Nietzsche

Poema de vida



imagem via google

Uma vida de composições que não encontra notas para reproduzir
Uma vida de notas que não sabe mais tocar
Uma mesma vida de receitas inventadas e esquecidas para sempre
Uma vida a procura de outra vida para se revitalizar
Uma vida que não sabe passar, mas nunca mais quis ficar
Uma vida com medo de viver
Uma vida que, assim, não daria meia vida
Uma vida, portanto, abrindo a porta da sua caverna para a vida se propagar
Tanta vida não caberia em apenas uma               
Esta vida almeja então serem duas
Bem sucedidas por serem uma só

6 comentários:

Leontyna Santos disse...

Uma vida que vive a vida buscando ser feliz.

Amei o texto, Indd!
Beijos*:

Edmara Oliveira disse...

Eu gostei!!!!


http://elaecrista.blogspot.com.br/

Ariana disse...

"Uma vida com medo de viver"
Isso me define.

O poema ficou lindo, adorei demais e nem sei o que comentar.

Beijos

Borderline Transtorno de Personalidade disse...

Parabéns!!!

Brunno Lopez disse...

Duas vidas num poema
Duas soluções num dilema
Não se abandona a primeira
Se a segunda for certeira

Ao viver numa segunda vez
Você pode transformar em três
Mas apenas uma é sua
A que o mundo não atenua.

[Inspirador ao ponto de eu resolver brincar.]

Veronica Rodrigues disse...

Obrigada pela visita ao blog querida! Mudei ele hoje. Voltei para coffeeblogandcigarettes, o início de tudo!

grande beijo, e volte para tomar um café.