"Nunca é alto o preço a pagar pelo privilegio de pertencer a si mesmo." Nietzsche

Podemos ser para sempre?


“Eu só aceito a condição de ter você só pra mim... Eu sei não é assim. Mas deixa eu fingir”

by Ingridd Lima
Um dia descobri que tudo o que eu tenho, todo o meu ouro e porto mais seguro, não passa de um barco. Um barco, apenas. Como todos os outros barcos: instáveis, frágeis, vulneráveis aos ventos - sejam eles fortes ou brandos. Balança: às vezes muito, às vezes enjoa. Ora estável, ora não. Agora eu sei que toda essa coisa de remar- às vezes acompanhada, às vezes sozinha - cansa. Machuca. Dói. Mas eu continuo lá e quero continuar lá, no meu barquinho, conquistado com tanto amor. Já decorado, idealizado. Já feito dele a minha própria vida. Cuidando e fazendo o melhor que posso para não naufragar. É nosso ouro, lembra? É meu porto seguro, minha própria vida que está ali. Mas, parece que o roteirista também se esqueceu disto. Ou esqueceu-se de fazer a próxima cena e nos deixou assim, a mercê de qualquer coisa. Com medo. Talvez por não sabermos o final. E o final, eu sei, muito me amedronta. Não sei me dar com finais. Acho que já até disse isso. Não gosto de finais. Nem tristes nem felizes. Não quero que tenha fim.  Prefiro que não tenha fim.  
Ah, eu não queria essa vontade de chorar. Eu queria um chocolate quente, pode ser meio amargo. Um abraço, pode ser bem apertado. Queria um sorriso, pode ser de felicidade por estarmos juntos? Hoje eu queria você aqui, mais do que tudo, pode ser pra sempre? Você pode ficar pra sempre? Cadê o roteirista? Não me deixe remar sozinha. Por favor, não me deixe remar sozinha. Sozinha eu não tenho forças. Por favor. Escuta: o barquinho é pequeno, mas dá pra nós dois. Ele foi feito pra nós dois. Veze quando, eu sei que ventos mal intencionados causam-nos náuseas, mas eu estou fazendo o melhor que posso. Por nós, pelo nosso amor. Eu quero ser o melhor de mim, acredita. Sabe, essa noite me doeu bastante pensar que eu posso não ser o melhor pra você, apesar de tudo... Eu estou tentando tanto. Queria que você soubesse. Eu nem sei o que fazer quando pensar em ficar sem você. Eu queria ser mais do que sou, mas não posso. Eu simplesmente não consigo ser mais do que eu. E sabe, eu queria muito que você também simpatizasse com esse nosso barquinho o quanto eu simpatizo e apesar de precisar muito de você e pedir incansável que não me deixe sozinha, por favor, saiba que também pode ir quando não quiser mais:
Eu entenderei se houver alguém. Alguém que consiga ser perfeita. Alguém que não lhe chateie, não lhe dê motivos para isso. Alguém, talvez, mais velha que eu. Alguém que possa ir aos shows com você, ao invés de lamentar-se. Alguém com quem você ache bom conversar, se abrir, contar tudo que sente. Alguém que você possa ver quando quiser. Alguém que cante também, “que dê tão certo com você”. Alguém que lhe faça bem. Alguém que não seja mais criança, que não ria tanto por besteiras. Alguém que você ame sem esforços, que lhe inspire textos bonitos, musica bonitas. Alguém pra quem você queira viver... Alguém que lhe faça continuar sorrindo. “Alguém que você queira, espere, se entregue...” Alguém que não lhe deixe dúvidas, insegurança. Alguém... Alguém que está longe de ser eu...
Não que eu não esteja tentando. Não que eu não queira. Eu não consigo. Era tudo que eu mais queria. Você deveria saber. Tudo que eu preciso é que fiquemos bem. Que fiquemos bem para sempre.  Porque, meu amor, eu não estou interessada no resto do mundo. Ele pode até desabar. Eu tenho meu próprio mundo e meu próprio mundo é você. Mas, veja agora. Estou com medo. Estou com muito medo. Nada acontece como eu queria e eu me perco o tempo todo. Eu só queria ser o seu amor. Eu só queria desfazer-me dessa insegurança de ser completamente sua. “Você me ajuda a ficarmos bem?” – foi a única coisa que saiu em meio a essa overdose de medo. “Tá”. Como um ponto final. Tá. Eu não sei o que você sente agora, mas eu queria ser o seu amor. O seu amor pra sempre.
“Podemos ser para sempre?” O barquinho só existe se formos nós dois.

5 comentários:

Aksa Bandeira disse...

Que lindas palavras.
"Eu queria um abraço, pode ser bem apertado..."
Amei

Pessoalmente: disse...

Meu amor, você é deveras importante pra mim... eu remarei com você todos os dias no nosso barquinho... Eu ficarei com você, pra sempre, lembra? a gnt vai ficar juntinho.
Esquece o resto do mundo... pois o mundo não vale o mundo, meu bem. Já dizia o poeta.
Te amo, lindona. Gordinha.

Michelle Louzeiro Nazar disse...

Indy..o último parágrafo foi para mim, acredite! Foi um daqueles belos trechos de livros inspiradores que meio que conseguem ler o que está trancafiado em nossos corações. E eu estou assim..aflita com a instabilidade..com medo de cair do meu barquinho, sabe?! Lindíssimo post amiga! Bjks ;-)

Brunno Lopez disse...

Ser o amor de alguém é ser parte da vida de alguém.
Elemento da respiração, braços maiores para alcançar algo que sozinhos, não poderíamos.

Que esse barco veleja eternamente, assim como você deseja.

Leontyna Santos disse...

Eu não deveria estar chorando... Mais uma vez você espalhando assim meus sentimentos... Até parece que temos vivido uma mesma vida rsrs... Eu tentei várias vezes tentar falar exatamente o que está escrito aqui e não consegui... Você simplesmente tem o dom, linda!

Beijos*: