"Nunca é alto o preço a pagar pelo privilegio de pertencer a si mesmo." Nietzsche

Luna

Minha linda Luna

Estava na hora, aliás, passando da hora dela comer. Apressei-me a chamá-la pelo nome com autoridade. Ela obedeceu, porém não estava satisfeita. Já estressada gritei:
            - Pois, fique com fome. Não vou mais dá comida para você não!
Foi nessa hora que ela, toda cabisbaixa, se deitou do meu lado, deu uma lambida na minha mão e virou a barrinha pra eu acariciar...

Parece bobo, não? Mas, são em momentos como esse que percebemos como nem sempre aquilo que queremos dá, é o que o outro precisa. 
Um carinho é a atitude mais humana e valiosa que se pode dar e receber de alguém!

4 comentários:

Michelle Louzeiro Nazar disse...

Indy! A Luna é uma fofa..a doçura materializada! Entendo muito bem o que vc conseguiu captar com o gesto dela, e isso me faz um bem enorme, pois também aprendo muito observando o que o coração de todos os seres muitas vezes quer falar e a gente acaba deixando passar despercebido..Adorei o lindo post! Beijinhos ;-)

Srtª Vihh disse...

Oh que fofa!!!
Pois acho muita verdade neste texto.
beijos

...Raiscrevendo... disse...

minha coisa már fofa!Seu blog como sempre tem textos como você: mega fofos!ó..eu sei bem o que essa cadelinha sentiu,viu!Não ache que eu me esqueço de você me dizendo.."lesa..!sai daqui.." e eu insistindo em dá xero nessas buchechas már fofas!rs!Saudades,xuxu!Beijão.

Mulher dos Dezessete disse...

OOOOOOI MEU BEM...
OLHA AI http://mulherdosdezeseisblog.blogspot.com.br/

curtir no facebook: http://www.facebook.com/MulherDosDezesseis

AMEI SEU BLOG, ja to te seguindo. fofa