"Nunca é alto o preço a pagar pelo privilegio de pertencer a si mesmo." Nietzsche

Juízo Final

imagem via internet


Este não é um texto fofinho como os meus anteriores e não tenho como objetivo fazer com que pensem como eu. Não estou aqui de falsa moralista e menos ainda, querendo deixar indiretas para alguém, mas de antemão já digo logo: se a carapuça servir que ao menos façam bom proveito dela!
De uns dias para cá eu tenho pensado sobre esses pré-julgamentos de pecadores para pecadores. Indigno-me quando ouço falarem quem vai para o céu ou quem vai para inferno. Afinal, que espécie de Deus essas pessoas acha que são? Não estou interessada nas suas religiões e menos ainda nas suas atitudes ou o que julgam ser certo e errado. Pois, meu pensamento cristão me leva a crer que o julgamento final não é feito por nós, mas pelo Ser Supremo ao qual elevamos nossas preces e, mais do que isso, o pecado está na cabeça de cada um. Por tanto, ninguém precisa de outros mortais lhes julgando, lhes dizendo o que não fazer. Ir em direção contrária ao que é certo, para mim, é pensar contrário a isso, é ter atitudes incoerentes a esse pensamento.
O que os outros acham também não é importante para mim, assim como os meus achismos também não é importante para ninguém. Talvez, sejamos nós os nossos próprios juízes. E... Já que julgar os erros dos outros não diminuirá os nossos, nem decidirá nada pelo Nosso Superior – no meu caso, Deus – então, que nos preocupemos apenas com nossas próprias vidas e nossos próprios erros. Deixemos que O Senhor faça com o outro o que tiver que ser feito. Importante mesmo é termos fé em nós.
O pecado de um, pode ser muito bem o rosbife do outro. Veja a vaca, como exemplo, na Índia ela é sagrada, mas aqui ela pode ser qualquer amiga do seu namorado...
E tenho dito.

6 comentários:

Samara Veras, disse...

Seu blog es lindo, vou segui-la com toda certeza.
Voce escreve muito bem..
Espero que goste do meu .

LINDO TEXTO!
beijo

meu blog http://samaraveras.blogspot.com.br/

Emi disse...

Sempre fico me perguntando também quem é o homem para julgar outro homem. As pessoas infelizmente tem essa mania; criam estereótipos de perfeição, de modelos de conduta a serem seguidos, mas cada um é cada um, e todo mundo tem direito a fazer o que achar correto. Acho que os que julgam os outros são os mais cheios de erros, então, não admitindo isso, partem para o julgamento para não se sentirem sós.
Adorei o texto. Disse muito do que penso.
Beijos, Indy!

emyhouseplus disse...

só aceba a Deus julgar
essa é a verdade.

Wanessa Guimarães disse...

Olá,
Parabéns pelo blog! Estou seguindo.
Segue lá também..

http://www.estanteseletiva.com/

Fique mais um segundo... disse...

Oi, Indy, boa noite!!
Muita saudade daqui!!
Estive viajando de férias por trinta dias e não entrei na net.
Bem, retorno e encontro você passando um sabão no povo por causa dessa mania (muito humana, aliás) de ficar julgando quem serve ou não serve, quem vai ou não vai para o céu, quem é pecador ou não é...
Você tem razão, sabão neles. Primeiro, porque pecar, todos pecam, e há mais que nos preocuparmos com nossa pele do que com qualquer outra atividade; segundo porque somente juízes julgam, e Deus já está nesse cargo, obrigado; em terceiro lugar, porque todos nós preferimos palavras de uma carinhosa preocupação do que condenações e dedos duros apontados na nossa direção...
Como um toque de graça inesperado, você quebra o gelo com a famosa questão da vaca: sagrada lá, amiga de um namorado ali, alcatra ao ponto aqui. O pecado não é bem isso, há muito menor relatividade nele, mas o exemplo vale. E as amigas de seu namorado que leiam esse texto... rs
Um beijo carinhoso
Doces sonhos
amo este blog
Lello

Impulsivamente peculiar disse...

Muito bom o seu Blog, e o esse post bem interessante. Pois infelizmente, é realidade entre nós seres viventes(humanos) essa mania de pré-julgamento, de querer ser juiz do outro. É verdade que ninguém tem esse direito, devemos sim deixar que aquEle lá de cima nos julgue da forma mais justa e correta assim como Ele é, vivemos nossas vidas respeitando nossos princípios, nossas culturas sem desrespeitar ou invadir o espaço do próximo, é isso aí! Amei seu blog seguindo espero q me siga tbm beijos!!