"Nunca é alto o preço a pagar pelo privilegio de pertencer a si mesmo." Nietzsche

Insegurança ou algo assim...


“Mas é claro que o Sol vai voltar amanhã. Mais uma vez, eu sei...”
De onde vem esse medo menina? O que aconteceu com toda aquela sua segurança e certeza de si? Por favor, por todos, por Deus e por você: pare de pensar nessas coisas que te machucam! Pare de supor, de prever, de temer... Pare um minuto somente!
Pensar nisso não vai melhorar as coisas aí dentro, não vai mudar o que aconteceu. Você sabe muito bem disso, e sabe tão melhor que eu, que tenho até vontade de rir quando me lembro de suas políticas para que todos saibam respeitar e aceitar os passados dos outros. Pois, meu bem, só assim o pretérito imperfeito não compromete o presente, nem as pessoas...
Mas eu sei.. O Amor...
Eu sei... Eu sei que você acredita que só encontramos o amor verdadeiro uma vez na vida.
Eu sei de todas as suas teorias, flor. Eu sei dos seus planos, das suas fantasias. Eu sei exatamente quem você quer que esteja do seu lado para... - como é mesmo que você diz? - para sempre e em todas as vidas que você tiver!
Eu lhe entendo, menina... Entendo e continuo dizendo que não adianta você martirizar-se tanto por causa dessa certeza da incerteza. Tudo que você tem de melhor continua sendo os seus sonhos, a sua vontade de ter e proporcionar dias melhores. Então, continue lutando por isso. Mesmo que o seu medo seja o de ter que continuar sozinha um dia... Bem, pelo menos vai saber que tentou e foi feliz enquanto durou. E rezo, tanto quanto você, para que se eternize.
E sabe o que mais? Se eu fosse você eu mataria esse medo que quer lhe matar. Esse medo que tenta amputar seus sonhos e destruir seu final feliz. Mataria agora mesmo esse pequeno-grande-medo que escorre pelos olhos, vez por outra, e ainda permanece lhe cortando o peito como uma lâmina, sem pudor – enquanto o coração bate em um vácuo só.
E você só pede para não mais se assustar na hora de dormir
E pede para ter forças e sorrir novamente quando o sol vier...

(E ele sempre vem)

8 comentários:

Fique mais um segundo... disse...

Oi, Indy, bom dia!!
Densidade absoluta, seu texto!
A transformação daquela pessoa que conhecemos num trapo de recordações que lhe consomem toda a energia vital é dolorosa. Quanto mais deve doer dentro dela! O medo e a fuga do medo nos levam a lugares de onde nem mesmo nós sabemos voltar, e às vezes é preciso que uma voz de fora nos chame, para que tenhamos ao menos uma leve noção da direção, mesmo que não vejamos o caminho. Lindo texto.
Um beijo carinhoso
Doces sonhos
Leo

Leontyna Santos disse...

E nesse momento senti que você estava falando comigo! Tenho um pequeno medo em meu coração que muitas vezes escorre pelos olhos... O tal medo de perder... E por mais infundado que seja eu medo não consigo não senti-lo! Mas vou seguir teu conselho e me atirar nesse abismo de vez e no final(e eu espero que não tenha um final) vou poder olhar para trás e dizer que amei da melhor maneira possível... E fui amada!

Muito, muito lindo o texto!
Beijos*:

Gabriela Freitas disse...

Bem Indy, também peço para o dia levar embora a dor que às vezes vem com a noite, acho que é a melancolia da meia noite que nos destrói, sabe? Ou a mania de procurarmos sempre na nossa memória aquilo que a gente deveria evitar lembrar.

Gislãne Gonçalves disse...

Oi,
Criei uma página de fã no facebook para todos aqueles que curtem o blog “Vê se ri um pouco”. Para seguir bastar clicar no link “Curtir” no gadget da página de fã que está lá no blog, o gadget intitula-se “Face”.

Beijos
Espero que goste :)

Michelle Louzeiro Nazar disse...

Indy, muito bom podere conhecer seu blog e, através dele, todo sentimento que você pode extravasar por aqui. O post é inspirador e motivante..desde a imagem, a escolha de trecho de música até a decisão de se matar o medo que acaba por nos paralizar. Perfeito. Adorei muito! Beijos menina, voltarei mais vezes com certeza.

Overture disse...

Aí Indy (mana que nome manero!) é o seguinte, o medo fuzila nós se a gente não fuzilarmos ele. É pegar a metralha e queimar esse bicho, viu!
Agora, o amor, aí sim, eu não entendo nada, mas eu digo uma coisa, no dia que eu souber eu falo.
Puxa, eu to querendo umas mil seguinte la no meu blog mas tá um arrazo, temquatro alma penada lá. Dá uma força aí quer dizer lá pra mim, vai, vai!
Vai,garota!
Então, tá, bjão

Nara Sales disse...

Que o sol venha e derrame sobre ti a luz do novo dia. Que teus medos não sejam maiores que as alegrias vindouras! O amor, ah, o amor... tantas teorias para algo que só quer saber de sentir...

Nara Sales disse...

Que o sol venha e derrame sobre ti a luz do novo dia. Que teus medos não sejam maiores que as alegrias vindouras! O amor, ah, o amor... tantas teorias para algo que só quer saber de sentir...