"Nunca é alto o preço a pagar pelo privilegio de pertencer a si mesmo." Nietzsche

Ócio.


"Não é o tédio a doença do aborrecimento de nada ter que fazer, 
mas a doença maior de se sentir que não vale a pena fazer nada"
(Fernando Pessoa)
 

Ela se entedia fácil. Para ela tudo tende ao tédio. É fácil reclamar da vida, difícil é levantar o traseiro da poltrona e fazer alguma coisa que mude isso. Mas quando o faço, a sensação que me dá é que: todo caminho dá na mesma bodega. Por mais que comece com os passarinhos no estomago - não sei o que acontece – uma hora eles acabam por morrer dentro de mim, restando-me apenas o vazio outra vez. Não falo de dor, falo do “não sentir” nada.

6 comentários:

Sandro Ataliba disse...

Antes não sentir nada do que sofrer. Pelo menos eu prefiro. E o tédio não tem nada a ver mesmo com o não ter o que fazer, mas com a falta de vontade de fazer o que é preciso.

Leonard M. Capibaribe disse...

Sofrimento é necessário para apreciar de verdade aquilo que tem valor... Não é bom sofrer sempre, mas tentar evitar é se enganar...

Beatriz Amorim disse...

Acredito ser passageiro minha querida, afinal, tudo passa! (:

Uma ótima semana!
Beijos

Thii S. disse...

E esse não sentir é desesperador, é como se tivéssemos nos perdendo dentro de nós mesmo. Mas passa, logo passa.

Beijos*:

Naty Santos disse...

Dizer que é passageiro é fácil, dizer que é uma fase é fácil sair da boca de quem não sente.

As vezes esse tédio horrivel toma conta da gente e se não formos fortes,a tendência é se entregar.


Fé!

Idiótica. disse...

Antes sentir dor do que não sentir nada.