"Nunca é alto o preço a pagar pelo privilegio de pertencer a si mesmo." Nietzsche

O remédio para todas as idades


Do meu relacionamento insano com o espanhol vocês já sabem, no entanto, ainda fiquei devendo um post sobre o tal “remedio para todas las edades”. É que este ano, é para mim, aquele em que as pessoas piram de vez e não tem psicólogo, psiquiatra, ioga ou arte-alguma-coisa que dê jeito. É o famoso “ano de vestibular”. Eu chamo de passagem sem volta pro inferno.
Somos cientes de que sair com os amigos nem que seja para ver as moscas defecarem nos revitaliza de alguma forma. Não sei exatamente o porquê, mas eu coloquei na minha cabeça o seguinte: “eu tenho que estudar. Sair de casa com a ‘galera bombação’ e fazer o que os jovens gostam de fazer não me traz beneficio algum. Este é o ano do vestibular e não se fala mais nisso”.
Talvez, essa minha crença desse certo. No máximo pensar assim me levaria a uma conversa com o velho e bom terapeuta. Mas não! Quem tinha que me dizer algo era o metido do espanhol. Tinha que me falar na cara, bem no seu estilo repete-que-não-entendi. Estava lá em quase todos os “ratos” do texto, me dizendo: “Ei, sem-noção, você vai ficar doida! Se continuar na ‘soledad’ vai entrar em depressão e vai morrer sem ninguém nem para ir ao velório”.
Tudo bem, querido espanhol. Já estou voltando a ter uma vida social, certo? Sim, querido leitor, era esse o remédio para todas as idades: ter uma vida social. Sair para festas, ver gente nova e espairecer. Por isso, deixo-lhes o conselho: não se enclausure em seus quartos, tornando-se refém de qualquer coisa. Segundo o autor do texto e suas pesquisas cientificas, pessoas que se submetem a isso, não só entram em depressão com mais facilidade como também fica mais vulnerável a qualquer outra doença disso eu não sabia.


Ratos: momentos, tempo; Soledad: solidão.

Relacionamento insano

 imagem da internet

Sabe aquela amiga que vive reclamando do namorado, marido, rolo ou sei lá oque, mas nunca consegue largar? Agora eu a entendo. Não que eu saiba explicar, mas estou sentindo na pele como é isso.
É típico da Indy aqui, pintar o terror desta coisa que me faz passar, pelo menos uma noite por semana em claro. Eu falo que é horrível e que eu ainda não tinha encontrado situação tão difícil de superar. Mas faz três anos que eu continuo insistindo neste relacionamento que não dá certo, mas que de alguma forma me faz bem.
Tenho a sensação que foi a amor à primeira vista. Por mais que eu reclame e ache ruim, não consigo abandoná-lo. Trata-se do velho “bônus e ônus” que tudo nessa vida tem que ter. Neste caso, não importa o quanto ele me maltrate, eu sempre vou amar o bem que ele me faz. Está impregnando como se fosse um órgão essencial para minha existência. É impressionante o quanto ele consegue me estressar e me tirar do sério. Em contrapartida, é indescritível como me inspira e me faz pensar na vida de uma maneira tão sutil.
Hoje, por exemplo, conseguiu me tirar do sério por horas. Porém, me fez pensar melhor na minha vida e entender o que é bom para mim. Lá com seus métodos cientifico, mostrou-me o que eu já sabia, mas fazia questão de fechar os olhos. Aquela história peculiar, que assim como eu, todo mundo já sabe, mas alguns fazem questão de se privar e fingir que não traz benefício algum. Bom, lá estava escrito no título: “El remedio para todas las edades”. E esse remédio me fez pensar tanto...
PS: Entenda meu bem, não se trata de pessoas, me dou muito bem com a maioria delas,  meu relacionamento insano é com o tal “español” e suas, audaciosas, provas que me deixam louca, literalmente.
           No proximo post eu falo mais sobre esse tal remendio.

Então, o que é verdade absoluta?


Hoje na aula de língua estrangeira meu professor falava que só se deve usar o verbo no “presente” em español quando se tratar de: ação no momento da fala, cotidiano, ação futura planejada ou verdade absoluta... Mas o que é verdade absoluta? Para mim, é verdade absoluta que Deus existe e, que se não fosse por ele, nada daria certo. Também é verdade absoluta que os meus pais são os melhores pais do mundo, mas que todos os pais são bons, que o meu terceiro ano é o melhor de todos os tempos e que o amor existe sim. É bem verdade que o importante é ser feliz e que na pascoa todos ganham muitos chocolates. É mais que verdade absoluta que a paz reinará no mundo e que um dia não existirá mais fome e que também, todos entenderam que não é interessante discriminar seus iguais. As pessoas, enfim, saberão amar mais do que fingir e tudo ficará bem. Todos os dias eu acordo e penso nesse meu futuro idealizado. Acredito nele com todas as minhas forças. Eis, a minha verdade absoluta. Então, o que é verdade absoluta pra você? Só não me venha dizer que o fogo queima e a agua molha, porque disso, até eu sou capaz de duvidar.

Tic Tac - lentamente.

Eu que sempre desejei mais sábados de que segundas e mais férias de que dias comuns... Desejo ainda mais agora! Porém, não mais para passar o tempo na internet, sair com os amigos ou mesmo para dormir e comer mais. O que eu quero é mais tempo contigo: mais sextas, mais sábados e mais domingos como os nossos, quero mais feriados juntos. Quero mais de mim em você e mais de você em mim – assim, de todas as formas. Sei que quando as pessoas falam de amor - esse amor que cada um diz sentir e ser verdadeiramente imenso, e que por isso tentam desenfreadamente falar das tantas formas o que sentem em seu interior - elas parecem patéticas, insanas. Então que seja, também não me importo. Embora nada que eu diga mude o fato do tempo passar arrastando-se quando não estou ao seu lado e, surpreendentemente, rápido quando estou com você, é apenas a mudança disto que desejo. Já ouvi dizer que o tempo é relativo, especialmente, desde que a conheci que compreendo bem essa teoria: Nos ponteiros do meu relógio, por exemplo, a cada trinta minutos passam-se 60 segundos sem você. Com você, exatamente o inverso, a cada 60 segundos o tempo faz questão de avançar meia hora. Ou mais. Não entendo bem a física, os cálculos e teorias cientificas, entre outras coisas que também não entendo, incluindo este amor que cresce simultaneamente com a vontade que eu sinto de ficar com você para sempre. Na verdade, nenhum físico, filósofo, cientista ou Maria-fofoca do colégio, poderá explicar a evolução da tal sementinha que você, sabe lá como, colocou em meu ser: seu amor. O "como?" também pouco importa. E sabe do que mais? Sem me importar com o tempo e teorias eu quero, simplesmente, te amar mais e te ter ainda mais pra mim. Exatamente do jeito que fazemos...
E muito bem...